Entre em contato

Formulário





Fale conosco diretamente

  • Telefone

    (11) 9-8945-3610

  • E-mail

    contato@flyage.com.br

  • Horário de Atendimento

    Seg à Sex dás 09hs às 19hs

  • Localização

    Rua do Paraíso, 347 - Paraíso - São Paulo - CEP: 04103-000

X

Solicitação rápida

Formulário





X

Fale conosco diretamente

  • Telefone

    (11) 3864-9249

  • E-mail

    contato@flyage.com.br

  • Horário de Atendimento

    Seg à Sex dás 09hs às 19hs

  • Localização

    R. Heitor Penteado, 113 - Sumarezinho, São Paulo - SP, 05437-000

Entenda o que é essa novidade e como se preparar para ela.

O Google é, disparado, a ferramenta mais utilizada quando o assunto é pesquisa e está sempre se aprimorando para oferecer a melhor experiência aos seus usuários. No meio deste ano, chega o Google Page Experience como mais uma forma de otimizar a experiência dos usuários que navegam pela plataforma. Quer entender melhor? Vem com a gente!

O que é o Google Page Experience?

Com certeza você já se deparou com a expressão UX. Mas se você ainda não sabe o que isso significa, UX é a sigla para User Experience ou, em português, experiência do usuário. Quando estamos falando sobre um site, por exemplo, essa experiência é determinada por um conjunto de parâmetros relacionados à interação e ao comportamento deste usuário ao navegar pelo site.

Mas o que o tal do UX tem a ver com o Google Page Experience? Acontece que o Google decidiu usar a experiência de usuário como fator de ranqueamento dos websites nos resultados de pesquisas. Ou seja, o que antes dependia basicamente de SEO, agora depende de algo bem mais complexo, que é como o usuário experimenta aquela determinada plataforma.

Calma, vamos te explicar melhor!

Até aqui a gente já entendeu que o Google acrescentou uma série de critérios baseados na experiência do usuário para que os sites alcancem uma melhor posição nas suas buscas. Afinal, quais são esses critérios?

Os principais são:

– O tempo que o site demora para carregar a maior parte do conteúdo de suas páginas. Seja esse conteúdo imagem ou texto, deve ser carregado em menos de 2,5 segundos.

– O tempo de resposta para ações do usuário (cliques), deve ser abaixo de 100 milissegundos.

– O uso do protocolo HTTPS, que já era importante para sinalizar se o site é seguro ou não, fica ainda mais essencial.

– Anúncios invasivos e itens que trocam de posição dentro da página são considerados um fator que colabora para tornar a experiência do usuário menos positiva.

O que é interessante de perceber nessa mudança é que as ferramentas digitais estão cada vez mais focadas no que é bom para o usuário e a experiência, hoje, é o fator principal para as métricas dos algoritmos do maior site de busca do mundo. Agora que você já sabe um pouco sobre o Google Page Experience, está na hora de fazer aqueles pequenos ajustes para otimizar o seu site e atingir um bom lugar no pódio das buscas.

Tags:

, , , ,

  • Compartilhar
  • Imprimir

3 comentários em “Google Page Experience”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *